abrir um negócio |

Todo empreendedor é um artista

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Quando voc\u00ea abre seu pr\u00f3prio neg\u00f3cio,

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Quando voc\u00ea abre seu pr\u00f3prio neg\u00f3cio, est\u00e1 fazendo muito mais do que contas e c\u00e1lculos"]">Quando você abre seu próprio negócio, está fazendo muito mais do que contas e cálculos

Não existe mapa, nem garantia de sucesso. Se houvesse, esse mapa provavelmente já teria sido copiado (ou compartilhado no tumblr). Para ir à frente, criar o que realmente importa, primeiro a gente tem que sair do caminho batido e ir por lugares que não conhecemos. Pode falhar, e daí tudo bem. Grandes obras sempre exigiram grandes riscos. Mas experimentos não falham – só provam ou não provam determinado ponto.

É fácil ficar preso a uma câmara de eco com todo o resto do mundo, repetindo o que todas as outras pessoas já dizem. É bem seguro. Mas é preciso ter a voz mais alta em um quarto pequeno. Nossa arte precisa da nossa voz verdadeira. Essa voz é única, honesta e necessária (agora!).

Nós fomos conquistados pelas regras e limites que nos seguram em empregos para grandes corporações e indústrias, pensando que temos que concordar com todo mundo e não mudar nada; pensando que nós temos que concordar sempre com os experts e líderes. Pensando que ter liberdade para expressar o que nós pensamos seria uma coisa bem legal… um dia desses.

Não há fórmula para a criatividade. Não dá pra aprender ela só com um livro ou uma sala de aula. É preciso ter paixão, e às vezes ela não entende regras ou táticas. Existe porque sim. E cresce dentro de nós, e nos pede para deixá-la sair.
Diga – seja – algo novo. Use sua história como uma lente através da qual o seu conhecimento possa ser contado de um jeito único. Aí, algumas pessoas vão discordar. Outras não. Você deve estabelecer bem seus limites – as pessoas que estão ao seu lado podem se tornar seus maiores aliados. A conexão real é a que você faz com indivíduos, não com as massas.

Todo empreendedor é um artista. Alguém que não está feliz com o status quo e quer dar uma remexida em tudo. Alguém que vê através das coisas e olha pra elas como elas deveriam ser. E esse é o trabalho mais importante, porque pode mudar as percepções que as outras pessoas têm das coisas – mesmo que, para isso, seja necessário ignorar as reações das outras pessoas. Porque, quando o empreendedor tem certeza de que alguma coisa deve ser feita, ele vai fazer isso. Aliás, ele deve fazer isso. É um favor que faz a todas as outras pessoas.

Esse é um chamado àqueles que querem fazer alguma coisa diferente ao invés de fazerem um nome para si mesmos. Para os que estão mais interessados em conexões do que em likes. Os que esticam o pescoço para olhar além. Tá vendo ali o desconhecido? E tá esperando o que para ir até lá?

Por Paul Jarvis, em http://pjrvs.com/a/rally