loja virtual |

Tendências e previsões para o e-commerce em 2015

Mãe Dináh feelings: veja o que promete acontecer no ecommerce neste ano 2015 mal começou mas, para os estudiosos do ecommerce, nem houve muita pausa desde o fim de 2014 – afinal, está na

Keslen Deléo

Keslen Deléo

Mãe Dináh feelings: veja o que promete acontecer no ecommerce neste ano

2015 mal começou mas, para os estudiosos do ecommerce, nem houve muita pausa desde o fim de 2014 – afinal, está na hora de fazer previsões e apostas, pensando no que vai dominar o mercado virtual nesse ano e como as lojas virtuais podem se atualizar (ou sair na frente, bombando, #alucinadas). Reunimos algumas das previsões mais comentadas na interwebs para você planejar os próximos passos da sua loja virtual e terminar 2015 batendo todas as metas de venda, dá uma olhada:

O retorno do tijolão

Quem diria, lá em 2006, que os telefones celulares voltariam a ser tão grandes? Após o advento dos smartphones, o pessoal tem andado com celulares que mal cabem no bolso (e a gente ficava tirando sarro dos tijolões noventistas). O que importa e interessa ao ecommerce nessa história é que as pessoas estão comprando pelo celular como nunca, e devem continuar aumentando esse ritmo. Pesquisas recentes trazem os números: “67% dos varejistas relataram que mais de 21% do seu tráfego atual pela web vem de dispositivos móveis.” Isso significa que você precisa ter uma atenção especial com sua loja virtual para garantir que o comprador tenha uma experiência bacana em todos os dispositivos, com temas responsivos, por exemplo.

Outro ponto importante dessa febre smartphônica é que acaba se tornando essencial pesquisar de onde vêm as compras da sua loja virtual, e é possível que surjam novas ferramentas de rastreio entre os dispositivos – a partir deles, você terá insights poderosos sobre os padrões de compra: em que hora do dia as pessoas compram mais pelo celular, por exemplo, ou se há alguma relação entre as compras com tablet e o ticket da compra etc. etc.

Plataformas para venda online

Há quem sonhe (não custa nada) com plataformas realmente funcionais que pesquisem produtos em lojas diferentes a partir dos gostos do cliente e o permitam comprar produtos de lojas diferentes num carrinho unificado. Apesar disso, segundo Dan Barker, tem ocorrido um fenômeno um pouco estranho nos últimos anos em que as plataformas de ecommerce beneficiaram muito as lojas menores (podendo abrir uma loja virtual de graça, como aqui na minestore), enquanto as mudanças de marketing digital acabaram beneficiando mais as lojas virtuais maiores (como nos esquemas de leilão e anúncio do AdWords).

Analytics ‘enhanced ecommerce’ e expertise dentro de casa

falamos do enhanced ecommerce por aqui: provavelmente, em 2015 essa ferramenta ficará bem mais simples e vai deslanchar, ajudando os donos de lojas virtuais a entenderem como é o comportamento de seus clientes, para adequar a loja virtual ao máximo e conseguir fechar mais vendas.

Outra tendência em que os estudiosos têm apostado é que a expertise fique cada vez mais dentro de casa. Isso significa que as lojas virtuais precisarão cada vez menos de agências e da contratação de serviço externo para áreas como análise e marketing digital. Assim, o controle sobre as ações que custam mais (e têm maior importância para a loja virtual, já que estão extremamente ligadas ao aumento nos lucros) fica bem maior e não há tanto desperdício (de dinheiro e energia). No entanto, como pequeno lojista, é bem possível que você já cumpra todas essas funções sozinho (nesse caso, tá totalmente dentro das tendências, super in, hein?).

Email (amor eterno) e multichannel

O email voltou para ficar e, se já falamos um monte dele no ano passado, em 2015 essa ferramenta crava a estaca e volta a ser um dos melhores e mais baratos canais de divulgação para a sua loja virtual. Além de não depender tanto de investimentos em promoção (como o Facebook e o AdWords), sua loja tem uma taxa de conversão muito maior. No entanto, o email marketing exige que o seu plano de conteúdo seja caprichadíssimo. Mas é retorno bem garantido, pode acreditar.

O multichannel continua como previsão (já há bastante tempo, inclusive). Nessa modalidade, vale muito a criatividade e a estrutura das lojas virtuais para utilizar tanto a loja física como a virtual de modo a vender mais e por mais dispositivos.

Fonte