como abrir meu próprio negócio |

Sucesso, às vezes, é só uma questão de estar no lugar certo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Encontre seu lugar \u2013 e v\u00e1 para l\

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Encontre seu lugar \u2013 e v\u00e1 para l\u00e1 o mais r\u00e1pido poss\u00edvel"]">Encontre seu lugar – e vá para lá o mais rápido possível

Numa manhã fria de janeiro de 2007, uma câmera escondida mostrou milhares de pessoas passando pelo violinista Joshua Bell enquanto ele tocava uma das músicas clássicas mais complexas já escritas, num violino Stradivarius (o mais raro e perfeito dos violinos). A maioria das pessoas parecia não perceber a diferença entre a virtuosidade de Bell e a habilidade dos outros músicos que estão, diariamente, tocando pelas estações de metrô.

Alguns dias antes, e depois desse experimento também, o violinista tocou em teatros lotados, com ingressos caros e uma plateia empolgadíssima, que o aplaudiu em pé.

Mas, no contexto da estação de metrô, as pessoas não reconheceram a genialidade do cara.

Nós não vivemos em um vácuo. Toda ideia que temos, música que ouvimos ou oferta que nos fazem são filtrados por diversos elementos, incluindo nosso humor, o ambiente e nosso entendimento único do mundo e do nosso lugar nele. Todos esses fatores afetam a importância e o valor que damos às coisas em que acreditamos, o que julgamos digno de nosso tempo e o que compramos.

Do mesmo jeito, enquanto as técnicas e habilidades de venda das pessoas podem ser importantes e demandar tempo e planejamento, o contexto em que essas ideias e produtos são apresentados é igualmente – ou mais – importante.

Às vezes, para ser melhor sucedido, você tem que mudar o seu contexto: você está disposto a utilizar toda a habilidade em vendas que adquiriu e todo o planejamento por trás do seu produto ou serviço num ambiente em que as pessoas estejam dispostas a valorizar tudo isso ou numa estação de metrô qualquer, esperando pelos trocados de pessoas que estiverem passando por ali?

Por John Jantsch, em http://bit.ly/1sB2Maj