como anunciar no Pinterest |

Como usar o Pinterest para promover sua loja virtual

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Rede social tem grande apelo visual e pode te

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Rede social tem grande apelo visual e pode te ajudar a vender mais"]">Rede social tem grande apelo visual e pode te ajudar a vender mais

Muitas marcas migraram para o Pinterest, na onda de usar todas as redes sociais possíveis para promover suas vendas. Mas poucas conseguiram bombar o mundo inteiro e ter trilhões de seguidores e repins. Isso porque o Pinterest pode não servir para todos os nichos de mercado que existem. Daí, temos duas afirmações importantes: uma, que se o seu nicho tem a vibe-do-Pinterest e fala ao público que costuma usar mais essa rede social, pinar pode ser uma das coisas mais legais para a sua marca. E outra, que se você for brilhante como acreditamos que é, pode usar o Pinterest para fazer ações promocionais incríveis, mesmo que ele não seja, teoricamente, o lugar onde está seu público-alvo. Sobre o usuário médio do Pinterest: normalmente são mulheres, de 18 a 30-35 anos, muitas delas mães (e a maioria, ligada em trabalhos manuais, moda, beleza, gastronomia etc.). Apesar de esse ser o público mais ativo por lá, várias pesquisas já apontaram que os homens têm uma parcela enorme de participação na rede social, porque os pins deles levam a muito mais compras que os femininos. Veja como algumas marcas usaram essa coisa de needles and pins: 1. A Oscar de La Renta fez um live-pinning (porque live-tweeting é muito 2010) do desfile da nova coleção de vestidos de noiva. Aí, eles iam colocando detalhes dos bastidores e fotos do desfile – e tiveram uma repercussão ótima (porque não se pode subestimar o poder de clique de uma mulher louca pra casar): o board é esse 2. A Honda – que, a princípio, teria muito pouco a ver com o Pinterest – fez uma ação chamada #Pintermission. Pensando no paradoxo inevitável dessa rede social, de que as pessoas passam muito mais tempo pinando coisas que querem fazer do que realmente fazendo essas coisas, a Honda promoveu o novo CR-V dando a usuários selecionados $500 para dar uma pausa de 24h no Pinterest e ir fazer as coisas que tinham pinado. Depois que voltaram, eles contaram tudo o que tinham feito e a Honda ficou bem na fita (nesse board). 3. A Work Club, agência de marketing digital de Londres, precisava de um novo diretor de criação. Aí, ao invés de colocar uma nota qualquer no site, eles resolveram fazer um board do Pinterest recheado de referências a filmes legais. Além de todo mundo ficar sabendo, ajudou a selecionar pessoas que têm exatamente esse perfil (de referenciar filmes legais, seja lá o que isso signifique). Aqui, ó! 4. O Wall Street Journal aproveitou esse efeito maravilhoso que têm as citações na interwebs pra divulgar suas notícias. Em todas as quotes tem o link para a notícia/entrevista completa. Funciona melhor se for motivacional 😛 Veja todas aqui 5. A Sephora, que vende maquiagem, integrou todo o seu site ao Pinterest, colocando um botão de ‘pin it’ em todos os produtos. Além disso, eles mostram os boards de alguns funcionários, com as recomendações e dicas sobre os produtos (o que ajuda bastante na descrição e nas reviews deles). Aqui! Outra questão recorrente é: pode colocar o preço dos itens da sua loja no Pinterest? E a resposta é: pode! Se tiver o link para a página da sua loja, melhor! Mas aí, e guarde bem essas palavras, capriche na foto do seu produto. Capriche muito! O Pinterest é bem baseado em referências visuais, e se você se tornar uma referência visual dessas, vai se tornar automaticamente uma referência de bom gosto e bons produtos (podendo, claro, colocar boas vendas aí na equação).