Negócio |

Quanto custa abrir uma loja virtual?

Quer começar a investir no seu próprio e-commerce e não sabe quais são os custos de uma loja online? Entenda os valores para começar seu novo negócio.

Redação

Redação

Muitos empreendedores estão explorando o mercado de vendas através da internet e essa tendência não acontece a toa. No último ano, o mercado de e-commerce registrou um crescimento de 15%, com faturamento de R$ 69 bilhões e mais de 220 milhões e pedidos. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) estimativa é de 19% de crescimento em 2019.

Criar uma loja virtual não é um investimento astronômico – é, na verdade, bastante acessível e pode ser feito por pequenas e médias empresas. Mas é preciso algum planejamento prévio para colocar as despesas no papel e entender onde vale a pena gastar um pouco mais e onde dá pra poupar a verba.

O processo de começar um e-commerce da estaca zero envolve basicamente quatro os custos: desenvolvimento da marca e produtos, custos operacionais, custos com a plataforma e com a divulgação. E antes mesmo de compartilhar com você nossas dicas para investir seu dinheiro nos lugares certos, a gente quer deixar claro que a relação custo/benefício é muito alta quando você trabalha no seu site de forma organizada e aposta nos meios de divulgação corretos.

Confira quais são os principais investimentos para criar seu e-commerce do zero:

1. Plataforma

Se no mundo comercial a propaganda é a alma do negócio, quando falamos de e-commerce, a plataforma é o coração. O primeiro custo para criar uma loja virtual é pensar na plataforma que será a infraestrutura para seu e-commerce expor e vender os produtos da sua marca.

Mas, quanto investir?

Existem diferentes opções de plataformas e planos para hospedar a sua loja virtual. Criar uma loja numa plataforma pensada para esse modelo de negócio tem um custo benefício muito mais interessante, com a possibilidade de escolher templates personalizáveis e prontos para uso.

Para definir qual é a melhor opção para o seu negócio, analise quais são as funcionalidades e integrações disponíveis, qual taxa sobre pedido realizado é cobrado pela plataforma e preste atenção em algumas imitações que podem ser definidas de acordo com o plano escolhido.

Aqui na minestore, por exemplo, você pode escolher o plano que melhor se adequa às necessidades da sua marca, inclusive criar uma loja o plano trend (sem pagamento de mensalidade), com a vantagem de não ter limitações para número de produtos e fotos cadastradas, nem de acessos às páginas do seu e-commerce.

2. Custos com a criação de marca e produtos

Se você já é um empreendedor que tem uma marca própria e que já trabalha com a venda dos produtos fora de uma loja online, esses custos não precisam ser considerados em um primeiro momento. Talvez você terá que se preocupar com algumas adaptações e, se quiser, com o desenvolvimento de produtos novos e exclusivos para o e-commerce.

Agora, se você vai começar uma marca do zero para já vender online, precisa considerar todos os investimentos dessa etapa na hora de pensar no custo da sua loja virtual.

Você provavelmente terá custos com a criação da marca, logo e identidade visual. Além disso, precisa considerar seu tempo para o desenvolvimento dos produtos, embalagens e todos os outros detalhes. Os custos envolvidos aqui vão variar muito de acordo com que tipo de produto você vai vender, como será o processo de produção e distribuição.

3. Custos operacionais

A plataforma é a vitrine da sua loja virtual. Mas não se esqueça de considerar todos os custos que farão com que os processos por trás dessa vitrine funcionem e que tornarão possível que seu produto chegue às mãos do consumidor.

A logística tem papel fundamental no mercado de e-commerce. É necessário agilidade e planejamento para realizar as entregas dentro do prazo e solidificar uma loja virtual de sucesso. Por isso, esse é um custo que não pode ficar de fora do seu orçamento.

Leia mais: O que é logística? Como ela influencia no e-commerce?

Os aspectos fiscais também fazem parte do custo operacional do site. Assim como qualquer tipo de negócio, uma loja virtual está sujeita a pagar impostos que também devem ser calculados no orçamento.

Ainda que a gente conheça o mundo dos e-commerce de perto e saiba para onde vai cada centavo do seu investimento, é difícil apontar números precisos quando falamos deste assunto. O custo depende muito do seu objetivo, de quem você espera atingir e de onde pretende aparecer. Coloque seu planejamento na ponta do lápis.

Outros custos operacionais devem ser levados em consideração, como o estoque, capital de giro, custos com plataformas para controle financeiro, equipe necessária para manter seu e-commerce funcionando e por aí vai.

4. Divulgação

A divulgação do e-commerce leva boa parte do investimento do empreendedor e não pode ser desconsiderado do orçamento. Como já vimos lá no comecinho do texto, um site sem divulgação é praticamente impossível de ser encontrado e eventualmente acabará caindo no esquecimento do público.

Esteja presente na redes sociais que têm sinergia com o público que você quer atingir e canalize a maior parte da sua verba em marketing para levar novos visitantes para o seu e-commerce, aumentando assim o contato de consumidores em potencial para a sua marca. Se você ou a sua equipe não domina essa habilidade, vale a pena encontrar uma agência digital e terceirizar o serviço. Não deixe a tarefa nas mãos de quem não tem experiência na área. Uma boa estratégia de marketing pode mudar completamente o rumo do seu e-commerce e atrair os consumidores certos para o seu site.

Coloque todos os custos em um documento, planeje e preveja os gastos e dê o pontapé inicial para fazer a sua loja virtual sair do papel! Ficou com alguma dúvida sobre os custos de uma loja virtual? Deixe seu comentário aqui no post e teremos o maior prazer em te ajudar :)