marketing |

O que é Marketing de Afiliados e como usar no seu e-commerce

Encontrar parceiros digitais — como blogs, canais e redes sociais — pode ser uma boa fonte de acessos, vendas e conversão de clientes para a sua loja.

Redação

Redação

A internet e a tecnologia trouxeram novas maneiras de entender o marketing e novas ações para divulgar as marcas. O inboud marketing, o growth hacking (que nós já explicamos para você aqui!) e o marketing de conteúdo são alguns exemplos dessas novas estratégias que têm como objetivo ganhar a atenção do consumidor.

Mas é preciso conhecer alternativas rentáveis e que tragam visibilidade para o seu e-commerce, trabalhando no contexto do seu público e com uma publicidade inteligente. O Marketing de Afiliados é um grande aliado para se posicionar dessa maneira e aumentar a divulgação dos seus produtos ou loja no universo digital. Aqui, você entende tudo sobre esse termo e como aplicá-lo. Olha só:

O que é Marketing de Afiliados?

Como o nome já diz, essa ferramenta de divulgação envolve uma rede de parceiros e afiliados na internet, que ajudam a divulgar o seu produto e recebem uma comissão.

Por que isso é bom para o meu e-commerce?

Com essa forma de divulgação digital, o benefício é mútuo: o afiliado (ou seja, seu parceiro) deixa o site, blog ou canal mais rentável e ganha novos leitores ao divulgar produtos físicos ou digitais. Já você, vendedor, ganha novos canais para divulgar sua marca, impactar clientes e aumentar as vendas.

E como funciona?

O modelo de negócios do Marketing de Afiliados é bem simples, mas possui formatos de venda variados – de acordo com o que as marcas e os parceiros pretendem com o anúncio.

O formato mais famoso é o Custo por Clique(CPC), em que o afiliado é remunerado a partir dos cliques no banner, link ou e-mail marketing. Cada pessoa que clica representa um valor fixo, estipulado pelo anunciante. Esse formato é indicado para quem quer gerar tráfego para seus canais (no caso dos afiliados) e empresas que buscam visibilidade para o site da marca.

O Custo por Venda (CPV), como o próprio nome já indica, tem como base as vendas que tiveram o site afiliado como origem. É o formato mais utilizado pelos e-commerces, em que o afiliado recebe um percentual sobre as vendas. Nesse caso, a comissão varia de acordo com os valores estipulados entre a marca e o seu parceiro, além de estar sujeita ao número de vendas realizadas em cada período.

Já o Custo por Mil Impressões (CPM), ou apenas Custo por Mil, é um formato utilizado em banners. O valor é pago ao afiliado a cada 1000 impressões que o anúncio recebe dentro do blog ou canal – ou seja, a cada pageview, o anúncio recebe uma nova impressão. No CPM, o que importa não é o número de cliques, mas sim quantas vezes o leitor tem algum tipo de contato com a marca.

Além desses três, existe o Custo por Ação(CPA) é uma métrica estipulada para que o afiliado estimule os leitores, assinantes ou mailing list a se inscreverem no site da marca, se cadastrarem em uma área específica ou cumprirem uma tarefa. A marca paga ao afiliado um valor fixo, a partir do número de pessoas que se interessarem por aquela ação.

O Custo por Lead (CPL), ou custo por lead válido, que funciona de maneira similar ao CPA, mas exige que o consumidor entre de fato no funil de vendas do e-commerce. Ou seja, além de se cadastrar no site, o consumidor precisa se interessar pelos produtos e ser realmente ativo na loja.

Por fim, pode ser aplicado um Custo por Formulário (CPF). Esse formato exige que o leitor ou usuário do site afiliado se inscreva em um determinado formulário da marca – como uma newsletter, por exemplo. Nesse formato, a cada vez que alguém responde ao formulário a partir do site, a empresa paga um valor fixo, mesmo que o consumidor não vire cliente mais tarde.

O Marketing de Afiliados é uma maneira de trazer novos clientes para a sua lojinha e, ao mesmo tempo, colaborar com o crescimento de blogs, sites e canais bacanas da internet. Em um mundo digital que está cada vez mais focado no conteúdo colaborativo, essa opção de divulgação só vai trazer benefícios para o seu negócio.

Não esqueça de calcular bem os custos e escolher o formato mais rentável para o seu e-commerce. Se ficar com alguma dúvida, é só deixar um comentário aqui no post!