como abrir uma loja virtual |

O preço mais baixo nem sempre é o preço certo

Baixar o preço dos seus produtos para competir com os grandes ecommerces pode não ser vantajoso. Quer saber por quê? Ok, sua loja virtual provavelmente não é a única loja virtual do Brasil

Keslen Deléo

Keslen Deléo

Baixar o preço dos seus produtos para competir com os grandes ecommerces pode não ser vantajoso. Quer saber por quê?

Ok, sua loja virtual provavelmente não é a única loja virtual do Brasil que vende roupas e acessórios. E você já sabe que esse não é o maior problema, porque há tantos compradores no Brasil que, se organizar direitinho, todo mundo vende online, certo? Mas você sabe, também, que precisa diferenciar sua loja virtual de todas as outras, para que mais e mais pessoas venham comprar na sua loja (e não nas outras).

Aí é que entra um ponto importante, sobre o qual vamos falar nesse post (baseados na discussão e dicas desse outro post aqui). Utilizar o preço baixo como único e maior ponto de diferenciação da sua loja virtual pode ser um erro enorme (desses que custam muito caro). Isso porque (obrigada globalização valeu capital viva o sistema) os grandes ecommerces como Amazon e Aliexpress conseguem chegar a preços realmente baixos pelo volume de vendas que têm. Sem contar que a Amazon, por exemplo, tem uma estratégia quase impossível de copiar: durante o dia, os produtos têm seus preços alterados diversas vezes. Fica bem complicado competir com lojas grandes assim, e tentar baixar os preços para acompanhar as ofertas de um Aliexpress da vida pode levar seu pequeno negócio à ruína (aliás, temos um post com algumas orientações para formar preços na sua loja virtual nesse link).

Mas, se não dá pra competir no preço, como vou diferenciar minha loja virtual?

São várias as estratégias possíveis, nesse caso, para vender online sem ir à falência. Nesse caso, um dos princípios de vendas (desde sempre) é manter o preço dos seus produtos adicionando valor a eles. Assim, você se diferencia não porque os preços na sua loja virtual são os menores, mas porque toda a experiência de compra lá é agradável e muito melhor do que comprar um negócio numa loja grande e não conseguir resolver algum problema com a encomenda porque o atendimento ao cliente deles é zoadíssimo.

**Suporte **e atendimento ao cliente são dois diferenciais em que você pode (e deve) investir na sua loja virtual. Oferecer uma janela de chat na loja, por exemplo, para o cliente tirar dúvidas enquanto estiver comprando (e estar lá para tirar as dúvidas do cliente) pode melhorar a experiência desse comprador. Disponibilizar um email de contato e ser bastante solícito no atendimento sempre que o cliente tiver alguma dúvida ou problema também conta muito – as pessoas estão dispostas, realmente, a pagar mais por um atendimento legal, sem contar que tendem a nunca mais pisar num site (boa essa, vai dizer) em que fizeram uma compra e não foram felizes.

Outra tática para diferenciar sua loja virtual é a qualidade dos produtos. É até meio lugar-comum falar isso em tempos de obsolescência programada (valeu capital viva o sistema), mas oferecer produtos que não vão se desmanchar em dois meses é um baita diferencial por esses dias. E, aí, o cliente tende a entender que matéria-prima melhor escolhida, confecção cuidadosa e cuidado com os detalhes precisam ser valorizados no preço. Claro que, para convencer seu cliente de que o produto que você oferece é maneirão, a descrição e as fotos deverão fazer jus à melhor qualidade dele.

Por último, o valor da sua marca também é algo que ajuda a agregar valor ao produto. E, aí, devemos chamar a atenção para o fato de que há marcas que alcançam um nível tão alto de valor que passam a valer por si próprias – e aí aumentam muito os preços ou relaxam na qualidade dos produtos, o que não é muito bonito frente à moral e aos bons costumes do varejo. Então, é legal que sua marca seja consistente e tenha clientes fiéis, mas é preciso lembrar que não só de marca vive a sua loja virtual.