como vender online |

O ecommerce de moda que escolhe os produtos para você

A Trunk Club é uma loja virtual diferente: eles mandam uma seleção de produtos e o cliente escolhe o que quer Enquanto tem gente que poderia tranquilamente levar uma sacolinha com a escova

Keslen Deléo

Keslen Deléo

A Trunk Club é uma loja virtual diferente: eles mandam uma seleção de produtos e o cliente escolhe o que quer

Enquanto tem gente que poderia tranquilamente levar uma sacolinha com a escova de dentes pra dentro do shopping center e morar por lá, há pessoas que simplesmente não nasceram para fazer compras. Essas pessoas – normalmente, mas não necessariamente, homens – têm todo tipo de arrepio só de pensar em entrar numa loja (argh!), provar roupas (aaaah!) e enfrentar várias filas até sair com as sacolas na mão (waaaaaugh!). Nem o ecommerce com todo o conforto de escolher e comprar as coisas do sofá de casa ajuda a convencer o pessoal com esse tipo de fobia.

Aí é que entram empreendedores com aquele olhar malicioso que diz ‘desafio aceito’. Pensando nos homens que não têm tempo (nem ânimo) para comprar roupas, a Trunk Club desenvolveu um ecommerce que funciona como um clube especial: ao se inscrever, a pessoa dá informações sobre seu estilo de vida e é conectada com um personal stylist. Esse profissional, ao analisar preferências e tipo físico, faz uma seleção com algumas peças que podem agradar ao cliente e manda um preview das escolhas ao assinante, que pode dar um ‘ok’ (ou não).

trunk-clubUma caixa com itens selecionados é enviada para a casa do cliente

Aí, uma caixa com as roupas selecionadas pelo personal stylist é enviada para a casa do cliente (sem custos) e ele tem 10 dias para provar tudo e escolher o que mais agradou/serviu/ficou bom. Depois, pode mandar de volta (também sem custos) o que não quiser e paga só pelos produtos com que ficar. Isso serve também para calibrar o trabalho do personal stylist ao escolher os itens da próxima caixa que o cliente pedir. Não há valor mínimo de compra e a Trunk Club já está começando o mesmo serviço para mulheres também (oras, elas têm todo o direito de não amarem fazer compras).

O modelo de negócios de um ecommerce como esse depende muito de boas soluções para a questão da logística e de um alinhamento poderoso com os personal stylists para oferecerem um atendimento bacana aos clientes, mas tem bastante vantagens (como todo ecommerce de assinaturas, em que a chance de ter uma renda mais fixa aumenta). É também uma ideia interessante para lojas virtuais que não operam sob o sistema de assinaturas o tempo todo: é possível criar um clube para um público específico com alguns dos produtos que você comercializa e ver se a iniciativa rende frutos.