e-commerce plus size |

Moda plus size é tendência de segmento no e-commerce

Prepare-se para ganhar dinheiro neste segmento

Redação

Redação

Vem cá, vamos contar um segredinho para você: os e-commerce de moda plus size são tendência. Você quer ganhar dinheiro vendendo pela internet? Então se joga nesse segmento.

Os e-commerces de roupas plus size movimentam R$ 4 bilhões por ano, e o segmento tem crescimento médio anual de 6%. De acordo com a Associação Brasileira de Vestuário, as 60 lojas virtuais especializadas nessa área respondem por 5% do faturamento total na área de moda digital!

Se você está pensando em escolher um nicho de e-commerce para atuar, essa é uma boa alternativa! No Brasil, pessoas com numerações acima de 46 já são consideradas plus size. Para você ter ideia, isso é mais da metade da população (58% das mulheres e 52% dos homens, de acordo com a revista científica Lancet).

Quais são os desafios dos e-commerces plus size?

Independente da área que você escolha para atuar, vai encontrar desafios. Ter um e-commerce é bacana, mas requer muitos esforços. Sendo assim, na área plus size não seria diferente.

A primeira dificuldade desse segmento é encontrar bons fornecedores e costureiros. Como a maior parte das roupas vendidas no mercado é para manequins menores, as pessoas se especializaram nas características desse formato de corpo. Nesse contexto, não são tantos profissionais que sabem criar peças com um bom caimento para veste números maiores.

O segundo desafio encontrado é na comunicação. Catia Debortoli, gerente comercial da VK Modas (uma das líderes do segmento) concedeu uma entrevista à revista Ecommerce Brasil sobre o assunto. Na entrevista, ela disse que é muito importante comunicar que as roupas vendidas são sim de tamanhos maiores, mas sem magoar ou atingir a autoestima dos compradores. A dica é conhecer muito bem o seu público e a forma como ele se comunica.

3 motivos para você investir em um e-commerce plus size

Esse segmento tem desafios? Sim, ele tem. Mas quem decidir enfrentá-los pode ganhar muito dinheiro nessa área. Confira alguns motivos para você escolher essa área de loja virtual.

1. Comprar sem sair de casa

Um dos maiores benefícios de fazer compras pelo e-commerce é não precisar se locomover. Isso faz com que os consumidores fiquem a poucos cliques de lojas geograficamente distantes. Você pode ter a sua loja virtual plus size em Minas Gerais e mesmo assim vender para pessoas de todo o Brasil (lembre-se que mais da metade das pessoas usam numerações acima de 46).

2. Fidelização

Fato: se as roupas oferecidas tiverem um bom caimento, o seu consumidor vai voltar. A chance de você fidelizar um comprador nesse segmento é muito maior do que nas lojas virtuais que vendem números menores.

3. Pouca concorrência

Ali no comecinho do texto, falamos que a Associação Brasileira de Vestuário mapeou 60 lojas virtuais de roupas com tamanhos maiores. Se você pensar bem, vai perceber que esse número é muito, muito baixo. Aí está uma grande chance de ter um negócio sustentável e bem-sucedido.

Dicas para quem quer abrir uma loja virtual plus size

Tá ficando interessado no segmento, é?! Então vale adotar os seguintes passos para ter sucesso.

Capriche nas fotos

As fotos da sua loja virtual devem ser ótimas (como em todo segmento). Capriche na luz e mostre os modelos em diversos ângulos!

Tabela de medidas

Isso é uma regra para quem vende roupas pela internet. Coloque todas as medidas necessárias na descrição do seu produto!

SAC caprichado

Pode ser que os seus consumidores tenham dúvidas. Para garantir que todas elas sejam sanadas, fique sempre atento aos seus canais de comunicação.

Experiência nota 10

Capriche na embalagem, faça um bilhetinho gentil e não atrase na entrega. Procure fazer com que a experiência do seu consumidor ao receber o produto seja incrível. Todo mundo gosta de ser mimado ao comprar algo pela internet!

Curtiu a ideia de abrir um e-commerce nesse segmento? Se você tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários! Vamos dar um jeito de respondê-las em um novo texto sobre o assunto!

Fonte: Revista E-commerce Brasil.