abrir um negócio |

mine entrevista: Alex e Bárbara, da Pyramid

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Quer saber como \u00e9 ter uma loja virtual? Eles

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Quer saber como \u00e9 ter uma loja virtual? Eles contam!"]">Quer saber como é ter uma loja virtual? Eles contam!

A Pyramid foi uma das primeiras lojas da minestore. Falamos bastante da marca carioca no dia do lançamento da loja, e você poderia dizer “oook, no dia do lançamento todo mundo é mais feliz do que o normal”. Só que muita coisa boa aconteceu de lá para cá, e fizemos algumas perguntas para o Alex e a Bárbara sobre a marca, o processo de produção das roupas e o que mudou com um e-commerce. Refestele-se em sua cadeira, pegue algo para beber, fique bem confortável e acompanhe o talk show da minestore :)

Quais foram os passos mais difíceis para começar a marca? Como foi, pra vocês, esse negócio de ir além do planejamento até a ação?

Bom, pelo menos até hoje os passos mais difíceis foram os fornecedores – demoramos praticamente 1 ano para estabelecer isso, e ainda estamos em processo de ajuste – e também, obviamente, a questão financeira. Hoje só conseguimos financiar em torno de 30 a 40% das nossas criações.

Descreva aí um dia de trabalho normal. Como é esse processo de confecção das roupas e coleções?

O processo de trabalho da marca é basicamente: conceituação, criação, viabilização, desenvolvimento, trabalho de imagem (produção de moda fotográfica), divulgação e venda. Isso tudo acontece dentro de uns 5 meses, o nosso dia a dia vai depender muito da parte do processo em que estamos.

O mais complicado dentre esses é o desenvolvimento. É o mais longo e mais cansativo, já que precisamos passar nossas criações para as fábricas pelo Brasil e normalmente não é uma comunicação muito fácil de se fazer. Então provavelmente no nosso dia nós estaremos em algum dos processos e ao mesmo tempo tocando os desenvolvimentos de produto.

E sobre o e-commerce: você já tinha testado alguma outra plataforma? Você vê vantagens numa loja virtual sobre uma loja física, por exemplo?

Sim, no primeiro momento buscamos alguma empresa para desenvolver nosso site, mas nos deparamos com alguns valores totalmente fora da nossa realidade.

Por conta disso eu resolvi eu mesmo aprender a mexer no magento e desenvolver nosso e-commerce a partir dali. Resumindo a história, cheguei num resultado muito longe do que eu gostaria, numa plataforma extremamente pesada e robusta, e sem a garantia de ser um ambiente seguro.

A loja virtual tem inúmeras vantagens. Na minha opinião as mais importantes são: o baixo custo de manutenção, o alcance e a facilidade de divulgação. O e-commerce aliado a outras ferramentas tem um potencial pra bater facilmente a visibilidade que uma loja física teria. O esforço de marketing é muito mais rentável e tangível – pelo menos no nosso caso.

Agora que a loja virtual foi lançada, o que mudou? A parte de dar conta dos pedidos, relacionamento com o cliente, cadastro de produtos, como está sendo?

Mudou completamente nossa dinâmica de vendas. Nos três primeiros dias de e-commerce vendemos mais do que o mês anterior inteiro. Na primeira semana (que ocorreu do meio pro final de março) batemos o total de vendas do ano inteiro de 2014 até aquela data. Como somos somente dois, a parte de dar conta dos pedidos, atendimento e cadastro é ainda bem cansativa.

Por outro lado, nunca imaginamos ter um ponto de vendas que alcançasse esse volume em tão pouco tempo, então é um esforço que tem um resultado quase que instantâneo e essa é a melhor motivação que poderíamos ter. Sabe aquela sensação de estar cansado mas com a missão cumprida? É basicamente assim que nos sentimos com o nosso e-commerce hoje, com a diferença que agora nós temos uma perspectiva real e tangível de crescimento.

E daqui, pra onde? Algum plano?

Nossos planos agora são dar continuidade ao trabalho e crescer, no caso com a próxima coleção de inverno que vamos lançar em maio, sempre aumentando o nível das criações ao máximo que a gente conseguir e também, por conta do e-commerce, estamos conseguindo aumentar nosso volume de produção. Isso possibilita para a gente produzir vários produtos que ainda não tínhamos como pela limitação da quantidade. Outro ponto é melhorar o nosso atendimento sempre. Nós temos essa filosofia de querer atender da melhor maneira possível, mas também sabemos das nossas limitações, já que somos somente dois para uma carga de trabalho grande.

Quais são suas recomendações para outros empreendedores que estão abrindo lojas virtuais agora (ou pensando em fazer isso)?

Bem, a loja virtual é uma grande facilitadora de vendas, com ela você consegue envolver e passar sua mensagem para o cliente, apesar disso a loja não se vende sozinha. A principal recomendação é – obviamente – ter um produto de qualidade, ter imagens de produto bem produzidas, ser muito claro e honesto nas descrições e cumprir aquilo que você promete na sua loja. Seguindo esses passos e claro, sabendo administrar as oscilações de cada tipo de mercado, o sucesso das vendas pela internet está sendo tão grande que dificilmente uma loja virtual vai te gerar problemas e custos mais do que clientes e vendas.

Aê, valeu! :) Aqui na minestore, lojista que passa dos três pedidos tem direito a pedir música. Como a Pyramid foi muito além dos três pedidos, você pode pedir também seu gif preferido (a honra máxima do nosso e-commerce). Manda lá:

Bom, a música pode ser a Black Sabbath – Hand of Doom

e o gif:

image

Gostou? Confere a loja deles que tá demais! :)