dicas para e-commerce |

Um joguinho de celular pode ensinar algo à sua loja virtual?

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Aparentemente, sim! Veja as li\u00e7\u00f5es que o

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Aparentemente, sim! Veja as li\u00e7\u00f5es que o (finado) Flappy Bird pode te ensinar"]">Aparentemente, sim! Veja as lições que dá pra tirar do (finado) Flappy Bird

A menos que você tenha estado vivendo dentro de uma caverna nas últimas semanas (vai saber), você deve ter ouvido falar do jogo Flappy Bird. O que era só um projeto de indie game de um programador vietnamita de repente se tornou uma sensação mundial, e aí foi retirado das app stores, causando ainda mais escândalo (já tem gente vendendo celular com o jogo instalado por milhares de dólares!).

Todo esse sucesso, controvérsia e bafafá estavam nas previsões do criador do jogo, Dong Nguyen? Parece que não. Depois que a poeira baixou, ele contou que só tirou o jogo das app stores do iOS e Android pelo bem das pessoas, porque o jogo era viciante demais. O que não é exatamente um problema para um desenvolvedor de games, mas enfim…

Se pensarmos bem nessa história toda, dá para tirar algumas lições valiosas disso tudo; não só para os desenvolvedores de indie game querendo ser o próximo Flappy Bird, mas para todos os empreendedores. Veja:

1) Mantenha tudo simples

Caso você não tenha jogado Flappy Bird (porque na caverna onde você estava escondido não tinha wi-fi), ele funciona assim: você é um pássaro, voando sempre na mesma velocidade horizontal, e precisa bater asas (batendo na tela) para subir e descer desviando dos canos que aparecem no caminho. Essa dinâmica rendeu a Nguyen 50 mil dólares por dia. E como isso se aplica a você abrindo seu negócio?

Imagine que você está ouvindo alguém falar sobre um produto que é uma porcaria e como ele poderia ser bom. Aí você tem aquele momento “eureka”, as nuvens se abrem e a revelação divina desce até você. Você acaba de solucionar esse problema e ter a nova ideia de um bilhão de dólares. Aí você começa a se preocupar, porque alguém pode roubar essa ideia. E começa a pesquisar, e pensar na competição e em todas as milhares de tarefas que têm de ser executadas, e quando vai contar isso para algum amigo e percebe como tudo ficou estúpido, desiste da ideia. Nem um passo e toda a genialidade da coisa se dissolve.

O problema é que a gente fica adicionando mil detalhes e depois se intimida com a complexidade da coisa toda. Nguyen poderia ter colocado mais 100 variáveis pra deixar o jogo mais interessante, mas preferiu deixar a coisa tão simples quanto um toque na tela. Começar com um produto mais simples vai te poupar dinheiro, vai deixar todos os testes mais tranquilos e vai garantir a viabilidade do seu negócio desde o começo.

2) Dê nos nervos

Aqui é talvez o ponto em que o Flappy Bird foi mais feliz. O jogo era muito, muito difícil de jogar, e quem começava gastava minutos só pra conseguir passar pelos primeiros canos. Aí, começou um tal de odiar o jogo, odiar quem tinha recomendado o jogo e, mais ainda, odiar quem tinha conseguido boas pontuações e tava espalhando isso no Twitter e no Facebook. Mas com toda a raiva veio muita atenção, e todo mundo começou a encarar isso como um desafio.

Dar nos nervos de sua audiência é uma estratégia bem recomendada pelos estudiosos: muitos empreendedores estão aí só vendendo aquele tipo de produto que te obriga a parar e olhar melhor. Seja pelo motivo que for, eles chamam a atenção e se destacam no meio de todos os outros.

3) Crie compulsão

Não importa o quão difícil fosse fazer voar aquele maldito passarinho; as pessoas simplesmente não conseguiam desligar o jogo! A compulsão ajudava a criar ainda mais audiência para o jogo, e a questão principal era que a interface do jogo era tão ridiculamente simples que ninguém acreditava que não conseguiria um score maior que 2.

A lição para os empreendedores é que eles devem procurar maneiras de fisgar seus clientes utilizando esse princípio da compulsão (em medidas seguras, claro). Mas é isso que divide as pessoas que compram de você e as pessoas que compram de você sempre.

4) Viralize

Um dos motivos para o jogo ter se tornado um viral foi a quantidade de pessoas frustradas compartilhando reclamações nas redes sociais (o que retoma as dicas 2 e 3). Os empreendedores podem aprender, com essa tática de compartilhamento que é bem comum no mundo dos games, que incentivar o compartilhamento de imagens (e até oferecer incentivos, ou promoções, para quem compartilhar) é uma ótima tática que ajuda a compor a social proof da coisa toda: você se torna conhecido e confiável.

5) Não reinvente a roda

Muito se falou sobre o fato de os canos lembrarem muito o Super Mario World, e sobre mil outras referências que o Flappy Bird teria copiado. A verdade é que, se formos falar desse tipo de coisa, nenhum jogo poderia ter blocos modulares porque isso é coisa do Tetris.

A questão é que muito poucos empreendedores começam as coisas do zero. E nem precisam. E é claro que você não deve copiar todas as coisas das outras empresas, até porque não é esse o ponto. Mas você pode procurar nichos de mercado ou serviços que fazem sucesso, e analisá-los até descobrir todas as suas faltas e falhas. Daí, é só pensar em um jeito de revolucionar isso e melhorar o produto ou serviço.

6) Tenha alguns segredinhos

Quando o jogo não poderia ficar mais viralizado, e todo mundo estava sofrendo a dor e a delícia de um score maior que 100, Nguyen o tirou do ar. Sem maiores explicações. Daí em diante, o falatório ficou ainda maior! Muito se conjecturou a respeito de quem estava por trás disso, quais eram as reais intenções e para onde isso levaria a humanidade. E aí, quem ainda não sabia nada sobre o jogo ficou sabendo.

Para os empreendedores, a questão é que manter um pouco de mistério é uma coisa muito legal, mesmo que você nem tenha um grande segredo guardado. Deixar que surjam rumores sobre o desenvolvimento dos seus produtos ou sobre novos rumos no seu negócio pode funcionar muito bem.

Fonte: http://bit.ly/1ghghcj