assinatura online |

O que é e-commerce de assinaturas e como você pode investir nele

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"O servi\u00e7o \u00e9 legal para empreendedores e assegura

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"O servi\u00e7o \u00e9 legal para empreendedores e assegura retorno financeiro todo m\u00eas"]">O serviço é bom para novos empreendedores e assegura retorno financeiro todo mês

Receber em casa, todo mês, uma seleção de produtos de beleza, cervejas ou vinhos tem sido cada vez mais comum – e fácil. Os serviços de assinatura tomaram o mercado brasileiro, tanto na modalidade ‘física’ quanto através do streaming (de músicas e filmes, por exemplo). É uma iniciativa boa e, se executada da forma correta, pode ter rendimentos bem consistentes (e garantidos).

Para começar, é preciso escolher um nicho legal e pensar em como esse serviço de assinaturas seria diferente – e melhor – para as pessoas do que, simplesmente, comprar aqueles itens todo mês. Um dos diferenciais de uma assinatura, e que costuma ser o responsável por grande parte do sucesso dela, é a possibilidade de ter itens mais caros pagando um valor fixo por mês. Além disso, a curadoria e a seleção dos produtos também deve chamar a atenção do público-alvo. Assinaturas como a da Buywine ou a do Clube do Malte têm, mais que produtos, um conteúdo planejado todo mês. É mais ou menos o princípio que leva as pessoas a assinarem revistas: há uma ‘linha editorial’ que não muda muito, mas dentro daquele universo, deve haver novidade sempre.

Há alguns pontos que precisam estar bem claros e resolvidos antes de começar um e-commerce de assinaturas: depois de escolher um público-alvo definido, e pensar numa gama de produtos que atendam a esse público-alvo, é importante calcular o custo médio mensal de todos esses produtos. Nesse momento, é interessante pensar em vários pacotes, de valores diferentes, que podem ser oferecidos ao cliente (com possibilidade de upgrade, depois). Além disso, dá pra oferecer planos anuais com desconto. O importante é ver quais são os valores que tornam a coisa toda viável (pense também nos custos de entrega), a médio e longo prazo.

Outro ponto importantíssimo das assinaturas é a entrega. Pessoas compram coisas e esperam recebê-las. E o poder de um cliente possesso porque a caixinha do mês ainda não chegou é uma coisa com a qual ninguém vai querer mexer. Pense numa alternativa boa para entregar tudo no prazo, sempre (e nunca considere uma só possibilidade: dependendo da distância, o mais fácil pode ser um courier ou uma transportadora). E, nessa linha, é essencial focar no relacionamento com o cliente; afinal, você tem que agradá-lo todo mês. Ficar sabendo de que coisas ele mais gostou ou não pode te ajudar a melhorar o serviço, mensalmente.

Fonte: http://bit.ly/1hBzKrg