amazon drones |

Estão querendo entregar suas compras com drones!

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Mas, e a\u00ed, t\u00e1 mais pra entrega

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Mas, e a\u00ed, t\u00e1 mais pra entrega eficiente ou pra m\u00edssil teleguiado do pica-pau?"]">Mas, e aí, tá mais pra entrega eficiente ou pra míssil teleguiado do pica-pau?

No final do ano passado, a Amazon divulgou um serviço de entregas que deixou todos de queixo caído. Embora ainda esteja em fase de testes, a promessa é que as entregas em curtas distâncias sejam feitas por drones (que são veículos aéreos não tripulados). Apesar de terem sido criados com fins militares, os drones têm sido usados para muitas outras coisas – com uma câmera em cima, por exemplo, servem para filmar surfistas de perto; podem bombardear coisas, mexer com radioatividade… e, se tudo der certo, entregar produtos.

O novo sistema de entregas da Amazon, chamado PrimeAir, ainda está em fase de testes e depende principalmente da autorização americana para o uso do espaço aéreo por esses veículos. Só é possível entregar, com eles, artigos pequenos e não muito pesados, mas a promessa de entregas muito rápidas (tipo meia hora depois de você pedir, se estiver nos EUA) e a lugares de difícil acesso (como propõe a DHL, da Alemanha, com seu projeto) tem sido acolhida com empolgação por todo mundo.

Nesse mês, Dubai saiu na frente e pretende lançar esse serviço bem antes da Amazon. A proposta dos árabes é de utilizar os drones para a entrega de documentos oficiais do governo aos cidadãos  e, para identificá-los nas entregas, seria utilizada a identificação de retina ou impressões digitais.

Ao mesmo tempo em que lembra o clássico episódio do Pica-pau em que um míssil teleguiado persegue um incauto comprador de seguros, lembrando-o das letrinhas miúdas (“Quem vai ser atingido por um míssil teleguiado?”), o uso do drone para fazer entregas é uma promessa bem futurista. Por mais que traga a necessidade de uma regulamentação bem específica (pensando nas pessoas que gostam muito de tiro ao alvo móvel), é interessante que eles sejam usados para ajudar as pessoas e facilitar a vida de todo mundo (e não mais com fins militares apenas).