Negócio |

Como calcular o custo dos produtos vendidos?

Não basta saber o seu lucro: aprenda a calcular o custo dos produtos que ficam (ou não) no seu estoque.

Redação

Redação

Você definiu o fluxo de caixa, está por dentro da contabilidade da empresa e já encontrou a melhor maneira de se aproximar dos clientes, mas ainda não sabe como calcular os custos dos produtos que vende?

A conta é mais simples do que parece! O primeiro passo é entender o CMV – Custo de Mercadoria Vendida.

O que é isso?

O CMV representa o valor da mercadoria, levando em consideração a aquisição de produtos, o processo de pós-venda e itens parados (ou que retornaram) ao seu estoque. O cálculo do CMV mede, em vez de lucro e saídas do estoque, a quantidade de itens que ficaram parados e podem trazer prejuízo para a empresa.

O estoque engloba não apenas os produtos, mas também um valor com potencial a ser vendido e que pode ser formado tanto pela matéria-prima (quando a sua produção é sob demanda) quanto por produtos finalizados, prontos para entrega. Itens parados ou devolvidos representam vendas não feitas, ocupam espaço e podem ter impacto sobre a sua margem de contribuição e a saúde financeira do e-commerce.

Como o cálculo é feito?

A fórmula para calcular o Custo de Mercadoria Vendida pode considerar duas unidades de medida:

  • O saldo monetário, importante para avaliações financeiras e o caixa da empresa.
  • A mercadoria, que calcula o número de itens em estoque, o que foi entregue ao cliente, quais estão disponíveis para venda ou precisam ser descartados.

As variáveis são as mesmas, mas no saldo monetário você deve definir a composição de preço para cada um dos produtos (impostos, custos de produção ou aquisição e formas de pagamento, por exemplo). Após estabelecer os valores, você pode multiplicar os números da conta de mercadoria por esse preço.

O cálculo é feito em duas situações:

No Inventário periódico, que é realizado em um período determinado e organiza a contagem de produtos em estoque em um período maior, a fórmula é:

CMV = Estoque Inicial + Compras – Estoque Final.

Para exemplificar: você possui 500 unidades de um produto em estoque, faz uma compra de 1.500 unidades e, ao final do período, possui em estoque 550 unidades. Então:

500 + 1500 –  550 = 1.450 produtos foram vendidos do seu estoque.

Se cada produto possuir um valor de R$ 100,00 a conta será:

R$ 50.000 + R$ 150.000 –  R$ 55.000 = R$ 145.000 é o seu CMV.

Já no Inventário permanente, que controla cada entrada e saída de mercadorias e insumos, com atualizações logo depois de vender um produto. Nele, além da conta CMV = EI + C –  EF, você precisa considerar as devoluções de compras (ou seja, produtos que voltaram ao fornecedor) e devoluções de vendas (itens que o cliente retornou à sua loja).

Para continuar o exemplo anterior:

Entre as 500 unidades do seu produto e 1.500 unidades que você adquiriu, foi preciso devolver 50 itens ao fornecedor, enquanto 10 sofreram com a logística reversa e retornaram ao estoque. No final, o estoque é de 100 unidades. A fórmula é:

**CMV = **Estoque Inicial + Compras + Devolução de vendas – devolução de compras –  Estoque Final.

500 + 1.500 + 10 –  50 –  100 = 1.860 produtos saíram do estoque.

Com esse valor, você consegue entender quanto custa retirar ou manter um produto em seu estoque. Isso ajuda você a conhecer a movimentação da empresa, definir novas datas para negociar com fornecedores calcular melhor os preços para ter lucro e pensar em estratégias de vendas para seus produtos.

E depois de conhecer o meu CMV, o que faço?

Além de conhecer as fórmulas, algumas práticas são válidas para não ter problemas com o CMV. Comece a fazer inventários e registre com atenção as entradas e saídas do seu estoque, sempre em tempo real. Cuide, também, da organização do espaço –  para que nenhum produto se perca – , dos processos de registro, da equipe de operações e do contato com seus fornecedores.

Com organização, você consegue estabelecer valores bem definidos para o seu CMV, entender quanto deve cobrar pelo seu produto, atender melhor suas demandas e fazer o e-commerce crescer.

Não possui ainda uma loja virtual?

Descubra porque escolher uma plataforma gratuíta de loja virtual é tão importante no começo do seu negócio!

Leia também!

Como a venda online auxilia as vendas da loja física