marketing |

A importância do branding para o seu e-commerce

O posicionamento da marca é fundamental para ganhar espaço no mercado. Entenda melhor como o branding funciona!

Redação

Redação

A imagem da marca é um dos fatores decisivos para a compra. Para ter credibilidade, profissionalismo e criar uma experiência para os clientes, boas ações de branding são mais do que necessárias. Mas o que é isso? Como essa construção de marca funciona no e-commerce? A gente vai explicar tudo direitinho para você nesse post. Olha só:

O que é branding?

O termo significa a construção ou o gerenciamento da imagem de uma marca e as influências que isso tem no consumidor. O processo vai além do design, da identidade visual ou de uma campanha publicitária: o conjunto de estratégias do branding envolve as imagens publicadas nas redes sociais, o formato de entrega de um produto, o setor de atendimento ao cliente e muitas outras partes da empresa.

Para que serve?

O objetivo é construir uma imagem positiva da marca, por meio de histórias, experiências, valores e diferenciais mercadológicos. Com isso, o empreendedor consegue conquistar seu espaço no mercado, fazer sua empresa ser valorizada e, é claro, aumentar as vendas ou prospectar novos clientes.

Qual a relação do branding com o meu e-commerce?

O crescimento da internet, das plataformas digitais e dos e-commerces fez com que o branding se transformasse em uma peça-chave para tirar uma loja do anonimato. De acordo com uma pesquisa da IPSOS para o Paypal, atualmente existem cerca de 450 mil lojas virtuais ativas no Brasil. Para se diferenciar nesse universo, é fundamental ter boas estratégias para otimizar tanto a estética do site quanto a experiência pós-venda do cliente.

O branding, além de divulgar a sua loja, ajuda a fortalecer o DNA da marca, passar mensagens efetivas para o público e converter uma boa identidade visual, uma linguagem bacana ou um atendimento diferenciado em grandes vendas.

O que eu faço para criar uma boa estratégia de branding?

- Defina os valores da sua marca.

Missão, visão e valores fazem parte do primeiro passo para criar um bom posicionamento e uma estratégia de branding eficiente. Mostre quais são os objetivos da sua empresa, o que você quer levar aos clientes e lembre-se de não deixar pontas soltas. Nessa hora, criar um moodboard pode ajudar: escolha os sentimentos, ações, humores e imagens que representam a sua marca.

- Faça uma pesquisa de público.

As pesquisas ajudam você a entender o que o consumidor está buscando e, assim, criar um bom relacionamento com ele. Preferências, necessidades, hábitos e comportamentos são alguns conceitos importantes, que devem influenciar a linguagem da sua marca, o segmento em que você vai atuar e até mesmo o melhor momento para entrar em contato com o cliente.

- Crie a sua brand persona.

A brand persona é uma forma de humanizar e entender melhor a personalidade da sua marca. A partir dela, você consegue entender melhor com que tipo de perfil o consumidor se identifica e tornar mais fácil a entrega de conteúdo, a criação de bons anúncios e a otimização das páginas do seu site. Pense na sua brand persona como um personagem e defina onde mora, qual a idade, o gênero, interesses, o que estuda, com o que trabalha, com quem se relaciona, sites, livros, lugares e músicas favoritos, quais são as motivações e preocupações ao comprar e como esse perfil se encaixa com aquilo que o cliente procura.

- Utilize a linguagem certa.

Marcas descontraídas podem ser legais em alguns momentos, mas antes de sair contando piadas por aí, é preciso usar as pesquisas e avaliar o que o consumidor espera de uma loja como a sua. O público precisa, antes de mais nada, se identificar com a linguagem, e a sua maneira de falar e publicar informações define o nível de credibilidade e mostra o quanto você entende do mercado.

- Pense muito na sua identidade visual.

A imagem do site também tem um papel importante para as vendas. O símbolo e tipografia da sua marca devem ser únicos, e estar fortemente relacionados ao que o e-commerce vende. Por isso, é preciso ser coerente: fontes descontraídas funcionam melhor para lojas de brinquedos, roupas infantis ou artigos para festas. Fontes mais pesadas podem ser uma opção para lojas masculinas, principalmente do setor esportivo. Fazer uma boa pesquisa com designers ou em sites como o DaFonte o Google Fontspode ajudar você nessa etapa. O símbolo deve ser versátil, aplicável em diversas texturas e materiais, além de não ficar preso em uma tendência que pode sair de moda a qualquer momento.

- Estude a influência das cores.

Você deve sempre pensar no consumidor ao escolher a cor do seu logo, site e peças de comunicação. O Adobe Color permite que você identifique as cores principais nas suas referências visuais antes de criar o site eo Brand Colors mostra o que as grandes marcas utilizam em suas identidades visuais. Também vale descobrir as sensações que cada cor passa.

- Defina seu estilo fotográfico.

As fotografias que você coloca no site também dizem muito sobre o seu e-commerce. Explore referências de brand photography ou product photography, converse com um fotógrafo especialista na área e confira dicas de fotografia para o e-commerce. Isso vai ajudar você a definir seu estilo fotográfico e como ele vai influenciar a mensagem da sua marca. Fundo branco? Flat Lay? Modelos em um contexto? Descubra o que a sua brand persona e o cliente iam gostar de ver.

- Conte uma história!

Histórias e experiências com a marca conseguem transmitir emoções, prendem a atenção e despertam a curiosidade de potenciais clientes – além de funcionar muito bem para uma estratégia word of mouth, quando o próprio consumidor leva o nome da marca adiante. Você pode trabalhar com usos diferenciados do produto, a história por trás da produção, a origem da marca ou mostrar que o processo de compra é prazeroso e marcante.

- Escolha bons canais.

Com as pesquisas de público e a construção da sua brand persona, fica mais fácil encontrar o seu cliente no mundo digital. Defina os canais (YouTube, Facebook, Instagram e outras redes) pensando em criar uma rede de conversas amigável, responder com rapidez e melhorar a presença da marca na internet.

- Pense no processo de entrega.

O prazo, a embalagem e as informações sobre a entrega são partes importantes da rotina de quem trabalha com e-commerce – e podem influenciar muito a imagem da marca! Quanto mais rápido, atencioso e inovador você for durante o processo de entrega (com um passo a passo transparente, design diferenciado e opções sustentáveis, por exemplo) melhor é a experiência que vai fidelizar o cliente e divulgar a sua marca.

- Invista em ações pós-venda.

O cuidado com o branding não acaba depois de conquistar o cliente. As pessoas precisam saber que a marca está por perto e pode ser facilmente encontrada. Telefone, e-mail e redes sociais (seja para reclamações, dúvidas ou elogios) não podem fornecer informações desconexas ou afastar o cliente depois da venda. Tenha uma equipe responsável por cuidar dessa etapa, descubra qual é a opinião do consumidor sobre o processo e esteja disposto a ouvir e melhorar, sempre.

- Tenha um manual de marca.

O manual de marca deve registrar todo o passo a passo da venda, valores e princípios da sua marca, para que você possa consultar em momentos de dúvida, na gestão de crises ou para, simplesmente, treinar um novo funcionário. Inclua a identidade visual (símbolo, tipografia e cores), o estilo fotográfico, regras de atendimento, linguagem e tom de voz, além de mostrar o que a marca se propõe a fazer e como cada pessoa pode contribui para a empresa.

Viu como o branding vai muito além da estética? Em um mercado cheio de lojas bacanas, é importante ter respostas e estratégias criativas, que sejam coerentes com o propósito da sua loja. O processo é constante, mas com certeza vai refletir no crescimento da empresa e dos seus objetivos.