como mudar de plataforma |

Como migrar a minha loja virtual para outra plataforma de e-commerce?

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Um guia completo para juntar as trouxas e mudar

Keslen Deléo

Keslen Deléo

<span data-sheets-userformat="[null,null,769,[null,0],null,null,null,null,null,null,null,1,0]" data-sheets-value="[null,2,"Um guia completo para juntar as trouxas e mudar sua loja de casa"]">Um guia completo para juntar as trouxas e mudar sua loja de casa*

Há muitas razões para as companhias mudarem de plataforma de e-commerce. Pode ser porque o negócio cresceu, ou as condições do mercado mudaram, ou surgiu uma alternativa muito melhor e mais simples, e aí todo mundo recebeu aquele sinal cabalístico, num momento de epifania… De qualquer maneira, é muito comum que as lojas virtuais mudem de plataforma, ou evoluam dentro do serviço que já estão utilizando, já que podem substituir alguns componentes ou a plataforma inteira para continuarem competitivos e mandando ver no e-commerce.

Mas mudar a plataforma pode acabar com seu tempo, dinheiro e energia vital. De qualquer maneira, toda jornada heroica sempre vai exigir um pouco de esforço, e uma mudança de plataforma bem feita pode levar a um aumento dos rendimentos (= te deixar multimilionário) e otimizar toda a parte operacional (= multimilionário com pouco esforço). Uma mal executada pode colocar uma companhia fora do mercado (= fim dos tempos!). Por isso, os empreendedores devem pensar muito antes de mudarem de plataforma.

O que é uma plataforma de e-commerce?

Bom, se você já leu aqui e ainda tá em dúvidas, vamos colocar isso de uma maneira bem simples: Uma plataforma de e-commerce fornece a tecnologia necessária para construir uma loja virtual. É a parte que você não conseguiria fazer sozinho (programação, hackers, matrix), e que te ajuda a mexer em tudo na sua loja virtual e vender coisas (colocar produtos, fotos bonitas, fazer sucesso). Ela pode conter todas as ferramentas, ou ser apenas um desses componentes integrado a outras plataformas, como um app. Os componentes mais importantes de uma plataforma dependem do tamanho da empresa e de suas necessidades específicas. Veja o que conta e é importante:

Gestão de conteúdo: tudo o que te ajuda a contar quão maravilhoso seu produto é, como os textos e fotos, e quão maravilhosa sua loja é, mesmo nas informações não relacionadas aos produtos.
Busca: muitas plataformas ainda são péssimas nessas coisas. O que conta na busca é que o cliente tenha a experiência que ele quer, quando vai comprar coisas (basicamente, encontrar o que ele está procurando).
Carrinhos: para registro, checkout e pagamento. Tudo tem que funcionar impecavelmente!
Gestão de produtos: com ele, você vai cuidar de tudo que está relacionado aos seus produtos, em todos os momentos; desde a apresentação, até os pedidos e o estoque.
Precificação: esse componente cuida dos preços dos seus produtos. Se seu negócio é B2C, fica mais fácil de comandar isso tudo; já se for um B2B, tem umas regras um pouco mais específicas para as vendas, mas o ideal é que a plataforma consiga dar conta do tipo de vendas com que você está lidando.
Controle de pedidos: aqui, os lojistas conseguem gerir um pedido, do recibo à entrega, e podem fazer mudanças, escolher o transporte para a entrega etc.
Sistemas de pagamento: que envolvem a parte do pagamento com cartão de crédito, no checkout, e podem incluir também pagamentos alternativos como o PayPal, o Google Wallet, boletos, enfim.
Controle de estoque: que permite aos lojistas verificarem a disponibilidade dos produtos. Considerando toda a coisa omnichannel de hoje em dia, é importante que esse controle possa ser feito por multicanais.
Merchandising: aqui, estão envolvidas a personalização, promoções, produtos recomendados após as compras ou cross-selling, testes A/B e todas aquelas outras palavras em inglês para falar de técnicas de vendas.
Social media: não é mais novidade, mas tem que lembrar que é importante atrelar a loja virtual às redes sociais, da melhor maneira, porque isso ajuda a criar uma relação ~ bonita ~ entre o cliente e a marca.
Integração: além de todos os componentes daqui, muitos lojistas precisam de plataformas que se conectem ou integrem com outros sistemas, como o de contabilidade, de marketing, relacionamento com clientes e por aí vai.

E-commerces menores normalmente têm um sistema integrado que foca no conteúdo, na webpage e na parte de pedidos. Conforme vão crescendo, as lojas podem precisar de outros sistemas integrados, e aí algumas plataformas oferecem esses upgrades, separadamente, pra dar uma incrementada na lojinha.

Agora que você já tá sabendo tudo sobre plataformas de e-commerce, pode comparar melhor todas as que existem por aí. Se você já está com sua loja virtual em alguma plataforma, vai saber bem do que estamos falando! E, aguarde: no próximo post, vamos falar sobre as dores e delícias de mudar sua plataforma. Fique ligado, a jornada está só começando!

Depois de falar sobre a estrutura básica de uma plataforma e como, às vezes, por um golpe do destino, um e-commerce melhor e mais simples faz você querer jogar tudo pro alto e mudar sua loja de casa, agora vamos falar do porquê e de quais os riscos envolvidos nessas mudanças. Pra que, quando for mudar, você tenha mais certeza de tudo.

Por que mudar de plataforma?

Algumas razões comuns para trocar de plataforma (no melhor estilo ‘não sou eu, é você’):

– Melhorar a experiência do usuário: ah, o usuário. Sabemos o quanto ele é importante e quanto tudo o que fazemos tem em vista que ele se sinta melhor dentro da nossa loja virtual. Desse modo, se uma plataforma oferecer melhores imagens, um checkout simples, carrinhos práticos e uma landing page bonita, já é um motivo e tanto pra pular pro outro lado da força.

– Suporte ao celular: mobile é vida, hoje em dia. É o que dizem. Então, é importante ter uma interface bem bonita pra eles também.

– Sucesso no mercado: a lojinha aumentou, não tá dando conta do tanto de pedido que  chegou, precisa de multicanais etc. Todo tipo de mudança exigida por novas, e boas, oportunidades.

– Necessidade de melhorar os indicadores: se a coisa não tá fácil, mudar também pode ajudar a dar um gás na lojinha. Em novas plataformas, você pode melhorar a média de valor do pedido, a taxa de conversão, os métodos de busca etc.

– Deficiências e problemas da plataforma: a tecnologia é maravilhosa, mas sempre faz alguma exigência. Normalmente, componentes e sistemas novos exigem compatibilidade com a plataforma, e se isso não acontece, um upgrade pode ser necessário.

– Custos: moneytalks, né não? Às vezes, uma pesquisa detalhada acaba por indicar a necessidade de cortar alguns custos, porque eles se tornam desnecessários. Às vezes, ainda, acontece de surgir uma plataforma mais barata, o que conta muito.

Por onde começar?

Reúna valorosos cavaleiros, uma boa espada e os suprimentos… he, nem precisa de tanto. Primeiro, nunca mude de plataforma sem uma estratégia bem clara de onde você quer estar daqui a três anos, por exemplo. Estabeleça objetivos bem claros, e defina como você vai medir, depois, se os atingiu ou não.

Analise bem a sua plataforma atual e os pontos fortes e fracos da sua empresa. Aí, pense nas outras plataformas disponíveis e como elas poderiam ajudar a potencializar suas forças e colaborar para diminuir suas fraquezas. Pense em tudo: relação com o cliente, requisitos técnicos e operacionais, enfim.

É muito importante falar com outros proprietários de e-commerce e dividir experiências. Aí, você vai ter a opinião de quem já usa outras plataformas, e isso pode ajudar a ter mais certeza. Aí, por último, pesquise bem todas as opções de plataformas. Pense que seus interesses podem mudar à medida que você conhece outros serviços, mas não deixe que seu objetivo fique muito longe do que você tinha pensado originalmente.

Riscos

Há alguns riscos, sim, em mudar de plataforma. Mas cavaleiros corajosos não vão desistir só por causa deles, certo? De qualquer maneira, apresentamos alguns, como um conselho de amigo. E alguns desses supostos problemas podem acabar sendo a melhor coisa que já aconteceu com o seu e-commerce:

– Pode gastar dinheiro e tempo, às vezes mais do que você esperava.

– Sua equipe pode ter que mudar (aumentando ou diminuindo) porque os processos mudam com plataformas novas.

– Inicialmente, você pode perder um pouco do movimento em sua loja, especialmente se a URL tiver mudado.

– Planeje os atrasos. Tudo na vida está sujeito a um ou outro imprevisto. Vá com calma, de qualquer maneira :) Boa sorte!

Fonte: http://bit.ly/1ncXMGl