branding |

5 estratégias de marketing para conseguir mais acessos na sua loja virtual

O tráfego leva às vendas – mas como você consegue fazer as pessoas chegarem até você? Veja aqui Quando você abre uma loja virtual, o que mais precisa é que as pessoas cheguem até

Keslen Deléo

Keslen Deléo

O tráfego leva às vendas – mas como você consegue fazer as pessoas chegarem até você? Veja aqui

Quando você abre uma loja virtual, o que mais precisa é que as pessoas cheguem até lá e comprem seus produtos, certo? Separamos algumas estratégias para que isso fique cada vez mais fácil.

1. Marketing de Conteúdo

O marketing de conteúdo envolve a produção de posts, artigos, vídeos, fotos, infográficos – enfim, qualquer forma de conteúdo – em um blog. Esse conteúdo deve atrair seu público-alvo e, assim, irá atrair pessoas para seu site.

Como funciona

Um exemplo prático para perceber como o marketing de conteúdo leva a mais vendas: Imagine que você vende bolsas. O natal está chegando e você decide escrever um post com o título ‘A roupa perfeita para a festa de natal do escritório‘.

Nesse post, você coloca várias roupas legais e adequadas para o evento – e, no meio delas, uma das suas bolsas. Todas as bolsas estão lá com fotos bem bonitas e um link que direciona para a página da sua loja virtual.

Para entender como isso funciona para atrair o tráfego, basta ver tudo pela perspectiva do cliente: imagine que uma mulher ligada em moda está procurando inspiração para decidir o que vestir na festa de fim de ano da firma. Aí, ela vai para o Google e procura ‘roupa para festa de natal‘. O que aparece? Aquele post do seu blog! BUM, lá vai ela para o artigo, gosta das combinações de roupas, curte aquela bolsa, clica e… lá está ela na sua loja virtual.

Estratégia de conteúdo

Para utilizar o blog, ter uma estratégia de conteúdo é essencial. É algo que requer tempo, e você precisa dedicar algumas horas da sua semana regularmente para procurar e produzir conteúdo bacana.

A parte mais importante da sua estratégia de conteúdo (falamos um pouco mais sobre isso nesse post) é entender e estabelecer qual é seu público-alvo (mais um post sobre isso, aqui!). Quais os interesses das pessoas que compram seus produtos? Que idade eles têm, que conteúdo é mais útil para essas pessoas?

Assim que você estabelece isso – uma coisa que ajuda bastante é fazer uma árvore de conteúdo, com os itens mais importantes e exemplos de títulos de posts sobre cada assunto –, é hora de planejar os posts. E, aí, você vai perceber, principalmente se estabelecer uma frequência alta de posts, que nem todos eles são conteúdo valioso e relevantíssimo. Daí, vale (pôr a mão na consciência) pensar em alternativas para não cansar os leitores do seu blog e trazer coisas novas e interessantes o máximo possível. Para lidar com a falta de inspiração, tenha também uma lista com possíveis títulos de posts para você alimentar sempre que tiver uma ideia e ter um guia quando não souber o que escrever.

Aproveite também as datas comemorativas importantes para o seu público-alvo. No caso das bolsas, por exemplo, você poderia escrever um post especial um mês antes do dia dos namorados com ‘Dez bolsas que são o presente perfeito para aquele alguém especial‘.

Quanto à estrutura desse conteúdo, tipos de posts que funcionam bem são:

  • Listas: normalmente de leitura rápida e com chance de colocar vários produtos. ex. ‘10 bolsas perfeitas para combinar com aquele pretinho básico
  • Divertidos: mais difíceis de fazer, mas costumam ser muito compartilhados nas redes sociais (vide os BuzzFeeds da vida). ex. ‘5 coisas bizarras que já apareceram dentro das nossas bolsas‘.
  • Informativos/como fazer: posts com dicas e/ou tutoriais. ex. ‘O que vestir para as entrevistas de emprego importantes‘.
  • Notícias: associar seu conteúdo com fatos importantes e que estão sendo discutidos é um bom jeito de fazer as pessoas chegarem até ele. ex. ‘As melhores e piores bolsas do Oscar‘.

Não deixe de medir

É muito importante analisar os dados para perceber que partes da sua estratégia de conteúdo estão funcionando melhor e poder otimizar o trabalho que feito no blog. Todo mês, veja quais posts e artigos geraram mais tráfego para a sua loja virtual, gerando mais vendas, e veja como você pode melhorar o trabalho do mês seguinte. Para analisar esses dados, é legal utilizar o Google Analytics.

Custos

Essa estratégia não envolve quase nenhum custo financeiro – mas requer tempo, muito tempo. Para ter um conteúdo que seja referência, você precisa dedicar bastante esforço na estratégia e na produção.

2. Email Marketing

A lista de email é, provavelmente, a melhor ferramenta para dirigir tráfego à sua loja virtual. Se você não usa ele efetivamente, está perdendo várias vendas.

Construindo sua lista de mailing

A melhor coisa que um visitante pode fazer na sua loja virtual é comprar alguma coisa. A segunda melhor coisa é deixar o email dele na sua lista.

Por isso, é muito útil ter na sua loja um formulário para que o cliente preencha o email – você pode oferecer contrapartidas como descontos, frete grátis na próxima compra etc.

Você pode também colocar esses formulários no seu blog ou no processo de checkout da sua loja (do tipo: ‘permite que a gente mande emails bem legais para você depois??‘.

Usando sua lista de mailing

Depois que você constrói sua lista de mailing, é hora de começar a usá-la. Se as pessoas te deram o endereço de email delas, o lance é um pouco mais especial e você deve valorizar essa confiança enviando conteúdo exclusivo para quem assina o mailing da sua loja virtual.

É preciso ter um plano para o email marketing – mas a parte boa é que ele pode ser uma extensão do seu plano de conteúdo, então basta criar uma lista de ideias para email marketing e alimentá-la com frequência.

Boas ideias de conteúdo para emails são:

  • Promover produtos novos ou em pré-venda
  • Oferecer descontos
  • Enviar os artigos mais legais da semana do seu blog
  • Misturar mais o conteúdo de vendas e o que não tem produtos
  • Mandar um ‘Feliz Aniversário’ mais personalizado e fofinho

É legal se inspirar com exemplos de emails de outras marcas. O Mailchimp tem uma seção imperdível pra isso que você pode conferir nesse link.

Custos

Indicamos para sempre o Mailchimp nesse serviço porque, até agora, ninguém fez melhor nem mais bonito. Ainda é tudo em inglês, mas é bem tranquilo de mexer. Os planos gratuitos permitem ter bastante assinantes e recursos, e quando você precisar usar um plano pago, é sinal de que sua loja já está bombando bastante e vai valer a pena.

3. Mídias Sociais

Se utilizadas para o bem, as redes sociais podem ter um impacto muito positivo nas suas vendas. O objetivo aqui é tornar seus clientes fiéis representantes da sua marca – à medida em que seus produtos traduzem o lifestyle dessas pessoas, elas começam a promovê-los também.

Por onde começar

A primeira coisa a se decidir é quais redes sociais você vai utilizar para promover sua loja virtual. Dependendo do tipo da sua loja, as redes sociais mais visuais, como Instagram e Pinterest, funcionam melhor. Mas Facebook e Twitter também têm seu valor, sempre.

Seja qual for a rede que você escolher – ou *as redes *–, uma dica importante é focar em uma ou duas, apenas, e fazer um trabalho bom nelas. Lembre-se de que isso consome tempo e esforço, e é melhor não estar numa rede social do que ter um perfil abandonado por lá.

O que postar?

As redes sociais funcionam, também, como uma extensão da sua estratégia de conteúdo. Promover produtos, posts do blog, promoções e reforçar a imagem da sua marca são partes bem importantes para considerar no plano de social media.

Também é possível fazer campanhas de mídias sociais – sobre isso, temos um post aqui.

Interaja!

Como o ponto principal das redes sociais é interagir, você não pode só postar coisas e não responder aos comentários das pessoas.

Mas isso é bom especialmente porque você pode medir a popularidade do seu conteúdo, além de ver que produtos estão fazendo mais sucesso com o seu público-alvo. Não perca essa chance de se comunicar com as pessoas que compram de você e mantêm sua marca viva.

Espalhe a alegria

Engajar os seguidores das suas marcas nas redes sociais não é difícil e pode ter efeitos bem bacanas. Use a criatividade para planejar promoções, sorteios e ações de marketing que ajudem a divulgar sua loja virtual (e, se bobear, tornam-se virais!).

No caso da loja de bolsas, por exemplo, pode ser uma boa pedir para os seguidores tirarem fotos do que há em suas bolsas e usarem determinada hashtag – e, aí, algumas bolsas podem ser premiadas etc. etc. Pense no que funciona melhor para a sua marca, mas não deixe de usar as ferramentas que as redes sociais te dão.

Custos

Você pode fazer isso sozinho – o que, de novo, só requer tempo e esforço – ou procurar um serviço especial de social media, oferecido por agências e freelancers.

4. Assessoria de Imprensa

Revistas, jornais e blogs estão sempre em busca de ideias legais para artigos. A história da sua marca pode ser relevante para o público desses meios – por que não unir uma coisa à outra e mostrar sua história para o mundo?

Conheça seu público

A primeira coisa a se fazer é uma lista com as coisas que seu público-alvo costuma ler. Aí, procurar contatos dessas publicações (revistas, blogs, jornais, fanpages etc.).

Para cada publicação dessa lista, você deverá ter um approach diferente. Pense em como entrar em contato com cada um deles especificamente. Se a sua loja de bolsas tem uma linha com materiais reaproveitados, por exemplo, é legal entrar em contato com blogs de sustentabilidade e apresentar sua história. Só, PELAMOR DE DEUS, não invente a história!!!! Pode pegar muito mal.

Prepare um media kit

Deixe o trabalho deles mais fácil ao preparar um kit com textos concisos sobre a história da sua loja e dos seus produtos, fotos legais em boa resolução e os contatos principais da sua loja virtual. Assim, fica mais fácil para ser publicado.

Não perca a chance de ser legal e ressaltar que a publicação deles é importante para você e sua loja, e que você reconhece o quanto eles são importantes também para o seu público-alvo. Se houver alguma amostra ou produto que você possa enviar junto, para que eles tenham uma ideia melhor do que você está falando, o efeito pode ser maximizado.

Custos

Empresas e lojas maiores costumam contratar esse tipo de serviço em agências. Mas é possível – ainda que você não tenha tantos contatos como um profissional dessa área – fazer isso sozinho, principalmente se a sua história for muito boa e adequada para os leitores.

5. Anúncios pagos/Google Adwords

Essa é uma das opções em que só o trabalho não vai ajudar muito (ainda que você possa manjar de SEO e tornar as coisas mais fáceis). É preciso investir um pouco de dinheiro, o que vai depender também do orçamento que você tem para a sua loja virtual.

Como funciona

Anúncios no estilo *pay-per-click *são propagandas direcionadas a determinado público na internet, normalmente mostradas em páginas de busca e redes sociais.

Seu site é anunciado: se alguém clicar, eles vão para lá e você paga uma determinada quantia pelo anúncio. A parte boa é que, assim que seus anúncios estão configurados corretamente, você pode fazer pequenas alterações e aumentar cada vez mais o rendimento deles.

Gerenciando suas campanhas

Bem, essa parte… é complicada e requer bastante tempo. O Google AdWords, principalmente, é conhecido por ser difícil de usar.

Mas eles se esforçam para ensinar. Por isso, se você estiver disposto, pode pesquisar tudo direitinho e virar um bruxão do adwords. Assim, vai gastar menos para promover melhor sua loja virtual (principalmente porque é muito fácil perder dinheiro se você não entende direito como funciona o processo do Ads).

Custos

Com o AdWords, você pode estabelecer custos máximos por dia e por semana. Assim, garante que o orçamento para a divulgação da sua loja virtual não vai estourar. Novamente, há agências que oferecem esse serviço e que você pode contratar.

Fonte (maravilhosa)